Ontem o blog fez 4 anos! Esta papa de pêssego e couve-flor serve para celebrar o momento. Pensei em publicar uma foto mais pessoal e um texto bonito mas na realidade foi assim que tudo começou: com a partilha das receitas que ia fazendo para a Francisca. Papas com combinações improváveis que foram conquistando bebés e papás. Esta papa para bebé é mais uma delas, quem diria que pêssego com couve-flor daria uma papinha suave, saborosa e consistente?
O pêssego é uma fruta da época que para além de deliciosa é muito rica em betacaroteno, um pigmento antioxidante fundamental para preparar a pele para o verão, entre muitas outras funções. Já a couve-flor é pobre em calorias mas rica em várias vitaminas e minerais e para além disso as suas propriedades são benéficas ao bom funcionamento do sistema digestivo.
Por último juntei um pouco de farinha de amêndoa, para acrescentar algum ferro, cálcio, vitamina E e ácidos gordos polinsaturados, que é como quem diz: gordurinha da boa e tão necessária para o bebé.

 

10 Comments

  • Ana Ribeiro diz:

    Olá! Está receita parece óptima. Fiquei com vontade de fazer para a Diana, mas ainda só tem 7 meses. Qual a razão, para apenas ser aconselhado dar esta papinha a partir dos 9 meses? Obrigada, beijinhos e muitos parabéns pelos 4 anos de Papinhas da Xica

  • Ângela Costa diz:

    Olá Sandra. As receitas são deliciosas. Eu adorei o livro. Anda sempre connosco. Qualquer dúvida alimentar vou sempre espreitar ao livro. Claro que tenho sempre em conta o que a pediatra diz, mas é quase como se tivéssemos alguém ao nosso lado a apoiar, ou a tirar as nossas dúvidas momentâneas.
    O meu Rafa, adora a papa de batata doce e banana. Fiz à dias com uma qualidade roxa. Foi engraçado porque as pessoas perguntavam porque a papa estava roxa. Vou experimentar esta receita, mas gistava de saber se é possivel trocar a farinha de amêndoa por outra.

    Continuação de um bom trabalho.

  • Monika diz:

    Pode-se substituir a farinha de amêndoa, por exemplo por farinha de arroz?
    Obrigada!

  • Sandra Santos diz:

    Olá Monika!
    Pode sim! 🙂
    Beijinhos,
    Sandra

  • Sandra Santos diz:

    Olá Ângela,

    Pode trocar a farinha de amêndoa por outra qualquer. Mas relembro que de acordo com as novas recomendações, as oleaginosas (amendoim, amêndoa, nozes…) podem ser oferecidas ao bebé logo a partir dos 6 meses.

    Beijinhos,
    Sandra

  • Sandra Santos diz:

    Olá Ana!
    Só por segurança relativamente à farinha de amêndoa. Contudo, as novas recomendações apontam para a introdução das oleaginosas, como a amêndoa, logo a partir dos 6 meses, por isso pode fazer para a sua Diana.
    Beijinhos,
    Sandra

  • Maria David diz:

    Olá boa tarde Sandra… Será possível fazer esta e outras Papas e enviar para a creche? Obrigado pelas receitas maravilhosas que estamos a testar e está a correr bem.

  • Sandra Santos diz:

    Olá Maria!
    Desde que bem acondicionadas pode enviar qualquer refeição (sopa ou papa) para a creche.
    Beijinhos,
    Sandra

  • Clau diz:

    Olá boa noite
    Uma dúvida que tenho se me puder esclarecer… tenho feito as papas do meu bebé com td o tipo de frutas e legumes e comecei por adicionar farinha de arroz e farinha de aveia integral, contudo quando fui comprar surgiu me uma grande dúvida que não me souberam esclarecer, a farinha de arroz e a farinha de aveia pode ser da farinha normal de arroz/aveia etc? Acabei por comprar as farinhas bio da Holle porque eram as que estavam na área de alimentação infantil. Claro que uma farinha de aveia normal custa 1€ e pouco e esta 4€ e pouco, não é tanto pelo dinheiro mas o não saber….acho as tao boas e meu filho adora, cheiram bem e as papas de fruta ficam óptimas não sei se com a farinha “normal “ (não sendo infantis) não ficariam granulosas… será que me fiz entender?!
    E qual marca a Sandra aconselha em termos de farinhas? Obrigado e Adoro o Blog! Parabéns!

  • papinhasdaxica diz:

    Olá Clau!

    A diferença é que as farinhas da Holle já foram previamente cozinhadas. Assim sendo, só precisa de juntar água e estão prontas a consumir. As farinhas “normais”, são apenas o resultado do grão ao natural que é triturado. Logo, têm que ser cozinhadas. Ficam ótimas também, quando cozinhadas por exemplo com fruta. Prefiro as biológicas, que encontra facilmente em qualquer supermercado. Quanto aos grumos, embora para si possam ser um contra, a verdade é que são ótimos para estimular a mastigação e incentivar o bebé a lidar com diferentes texturas.

    Beijinhos,
    Sandra

Deixe um comentário