Qual é o melhor leite para crianças pequenas?

Esta é sem dúvida uma das questões que mais me colocam. Para dificultar a equação cada profissional de saúde diz uma coisa e isso acaba por vos deixar ainda mais confusas.

Na verdade, a recomendação geral é que, a partir dos 12 meses, pode oferecer leite de vaca, ao seu bebé, em substituição do leite materno ou fórmula.

Mas será essa a melhor opção? Leite de vaca será o melhor leite para o seu filho? E, será que as crianças pequenas, com mais de 1 ano, precisam mesmo de consumir leite?

Venham daí e vamos mergulhar em toda a verdade sobre o leite e a enorme polémica que encerra em si mesmo.

Necessidades nutricionais e alimentação de crianças pequenas

Durante o primeiro ano de vida, o leite é o alimento principal na vida do bebé. Essa é uma das razões pelas quais chamamos à introdução de novos alimentos de “alimentação complementar”, já que complementa o leite, seja ele materno ou fórmula.

Contudo, à medida que o bebé cresce, a sua dieta começará a tornar-se mais dependente de alimentos sólidos.

A partir dos 12 meses, o leite gradualmente começa a ficar para segundo plano e, aos 2 anos de idade, os alimentos sólidos já ocupam grande parte da sua alimentação.

Mas o segundo ano de vida do seu filho, ou seja, dos 12 aos 24 meses, corresponde a um período de transição.

Uma bebé não passa de depender significativamente do leite, para de um dia para o outro, deixar de precisar.

A maioria das crianças, com 1 ou 2 anos, ainda precisa das calorias fornecidas pelo leite, bem como proteínas e outras vitaminas e minerais, que o leite fornece já que não o consegue somente através da ingestão de alimentos sólidos. Este é também um período em que muitas crianças se tornam mais seletivas e como tal, o leite, desde que na quantidade adequada pode ser uma ferramenta nutricional importante.

Sendo assim, qual o melhor leite a dar às crianças de tenra idade?

 

  1. Leite materno

A Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno até aos 2 anos ou mais. Por isso, se ainda estiver a amamentar, pode e DEVE continuar desde que seja essa a sua vontade e a do seu filho.

Amamento 3-4 vezes por dia, o meu filho precisa de outro leite?

Neste caso, não há necessidade de oferecer leite de vaca, ou qualquer outro leite.

Contudo, se só estiver a amamentar idealmente deverá manter a suplementação em vitamina D e garantir que o seu filho tem uma alimentação variada.

Amamento 1-2 vezes por dia, o meu filho precisa de outro leite?

Se só puder amamentar 1 ou 2 vezes por dia, a necessidade de introduzir outro leite é algo que deve ser considerado caso a caso, já que depende da globalidade de alimentos ingeridos ao longo do dia.

E se o meu filho não beber leite mas comer por ex. iogurte ou queijo, preciso de dar outro leite?

Se o seu filho estiver a ser amamentado e consumir outros produtos lácteos, tais como iogurte ou queijo há uma elevada probabilidade de não precisar de consumir qualquer outro leite para além do leite materno, independentemente do número de vezes que mama por dia.

Amamentar é a forma mais nutritiva, barata e com menor impacto ambiental de alimentar o seu bebé e crianças pequenas. A amamentação deverá ser sempre incentivada!

Se deixar de amamentar, antes dos 2 anos, recomendo que procure introduzir outra forma de leite na alimentação do seu filho!

  1. Leite de vaca

Se decidir deixar de amamentar aos 12 meses, ou se o seu filho estiver a consumir fórmula saiba que a recomendação padrão é a introdução do leite de vaca, como substituto do leite materno ou fórmula.

Não há necessidade de permanecer com fórmula ou outros leites de crescimento já que um simples leite de vaca irá suprir as suas necessidades.
Para ler mais sobre leites de crescimento clique aqui.

Porquê o leite de vaca?

O leite de vaca é um alimento muito completo, rico em proteínas de alto valor biológico, hidratos de carbono, gordura, vitaminas e minerais. Não há outro alimento ou bebida que seja tão fácil de consumir para a maioria das crianças e que tenha ao mesmo tempo um perfil nutricional tão bom e seja tão acessível do ponto de vista financeiro.

Quais os motivos para tanta controvérsia em torno do leite de vaca?

São tantas as informações contraditórias sobre os malefícios e benefícios do leite que os pais já não sabem se devem ou não dar laticínios aos seus filhos.

Por um lado, muitas pessoas levantam problemas em torno de questões éticas, ambientais e de bem-estar animal. O que é perfeitamente legítimo.

Por outro lado, uma pesquisa rápida na Internet irá mostrar que muitas pessoas têm medo que, o leite de vaca esteja cheio de antibióticos, hormonas de crescimento e que potencie alguns tipos de cancro ou outras patologias.

Enquanto nutricionista cabe-me apenas esclarecer e falar do alimento em termos nutricionais. E quanto a isso, as campanhas contra a utilização do leite têm por base na grande maioria das vezes argumentos não fundamentados cientificamente. O leite de vaca é perfeitamente seguro para ser consumido por crianças e adultos em geral.

Na verdade, este é um alimento que pode ser importante para muitas crianças, sobretudo aquelas em situação de carência nutricional ou económica e pode constituir uma parte importante de uma dieta equilibrada para crianças pequenas.

Porém, o leite de vaca não é, evidentemente, absolutamente vital para as crianças, e existem outras opções. Mas depois do leite materno, é, de longe, a opção mais completa e nutricionalmente adequada que existe após o primeiro ano de vida.

Importa ainda referir que a maior parte das fórmulas, leites de crescimento ou leite em pó são feitos a partir de leite de vaca. Então não faz sentido, o que oiço muitas vezes: “leite de vaca nem pensar”, para um bebé que bebe fórmula desde a maternidade.

  1. E leite de cabra é uma alternativa?

A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar declarou recentemente que as proteínas do leite de cabra podem ser adequadas como fonte de proteínas para lactentes e fórmulas de acompanhamento, desde que o produto final cumpra os critérios de composição estabelecidos na Directiva 2006/141/CE.

Contudo, o leite de cabra não modificado, tal como o leite de vaca não é adequado para lactentes ou bebés com menos de 1 ano, devido ao elevado teor de proteínas e minerais e ao baixo teor de folato. De acordo com estudos científicos recentes, até à data, o leite de cabra não demonstra ter uma clara vantagem nutricional quando comparado com o leite de vaca e não é menos alergénico.

Posto isto, a utilização de leite de cabra não pode ser recomendada a crianças com alergia ao leite de vaca sem uma investigação prévia. Contudo, para crianças APLV que toleram a proteína de cabra, este pode ser um excelente substituto.

 Qual a quantidade de leite que o meu filho deve ingerir?

A recomendação é que as crianças pequenas, entre 1 e 4 anos bebam cerca de 500mL de leite por dia. Podendo a quantidade aumentar ligeiramente a partir dos 4 anos.

E se o meu filho for alérgico ao leite de vaca?

Se o seu filho for alérgico ao leite de vaca, ou se não quiser que ele o consuma, até aos 12 meses pode recorrer a fórmulas extensamente hidrolisadas ou de aminoácidos, fórmulas feitas com leite de cabra, tal como supracitado ou fórmulas vegetais, à base de soja ou arroz. A partir do primeiro ano de vida, o ideal será falar com um nutricionista que poderá ajudá-lo a conseguir um plano individualizado com base nas suas próprias circunstâncias, avaliando o melhor caminho a seguir.

A partir dos 12 meses, a bebida vegetal poderá ser uma opção?

A alternativa vegetal disponível capaz de ajudar a satisfazer as necessidades nutricionais de uma criança pequena é a bebida de soja. A bebida de soja é nutricionalmente equilibrada mas deve ser utilizado com prudência.

Esta pode ser introduzida como substituto do leite materno ou de vaca a partir dos 12 meses. Contudo, dada a possibilidade de conter elevada concentração de alumínio e fitatos eu recomendo que idealmente seja oferecida como substituto do leite materno, vaca ou fórmula só a partir dos 24 meses.

Para além disso, estas bebidas não têm a mesma quantidade de gordura que o leite materno ou o leite de vaca, e também são mais baixas em calorias quando se escolhem as versões não adoçadas.

Se escolher esta bebida vegetal, recomendo que se assegure que o seu filho está a receber gordura e calorias suficientes, provenientes de outras fontes alimentares. Aconselho ainda a compra de uma versão enriquecida em cálcio.

Alguns relatos recentes têm apontado que os fitoestrogénios presentes na proteína isolada de soja seriam prejudiciais. Porém, vários estudos científicos já vieram, entretanto, contrariar esta questão provando que, deste ponto de vista, é uma alternativa segura e sem riscos hormonais.

Composição da composição nutricional de diferentes bebidas vegetais

Como se pode ver na tabela, com exceção da soja, outras bebidas vegetais, como amêndoa, coco, aveia, entre outras, não têm calorias, proteínas e gordura adequadas para substituir o leite materno ou de vaca. A utilização deste tipo de bebidas não garante o acesso a nutrientes essenciais para o desenvolvimento e crescimento adequados de crianças pequenas.

Concluindo:

Cada criança é única, precisando de mais ou menos leite para satisfazer as suas necessidades durante o período entre os 1 e 2 anos de idade. Após os 2 anos, muitas crianças já não precisam de leite, especialmente se o aporte em todos os nutrientes essenciais estiver assegurado através do consumo de outros alimentos sólidos. Contudo, para outras, que precisam de uma ajuda extra para suprir as suas necessidades, o leite pode continuar a ser uma boa opção.

Se o seu filho não gosta de beber leite, não há necessidade de o forçar ou ficar stressado. Muitas crianças consomem leite de outra forma, nomeadamente, ingerindo queijo ou iogurte, que pode ajudar a satisfazer as necessidades de cálcio, calorias, gordura e proteínas.

Se tiver alguma dúvida sobre o que deve dar ao seu filho, consulte um nutricionista registado que pode ajudá-lo a avaliar a dieta alimentar do seu filho e construir um plano alimentar adequado.

Para mais informações sobre “O que as crianças podem beber”, clique aqui.

Bibliografia

Dominique Turck. .Cow’s milk and goat’s milk. World Rev Nutr Diet. 2013;108:56-62.

D. Infant Pina. Use of goat’s milk in patients with cow’s milk allergy. An Pediatr (Barc). 2003.Aug;59(2):138-42.

Ilaria Testa. Soy-Based Infant Formula: Are Phyto-Oestrogens Still in Doubt?. Front Nutr. 2018; 5: 110.

Deixe um comentário