As castanhas são um extraordinário alimento que foram progressivamente desaparecendo da alimentação dos portugueses, e os castanheiros da paisagem portuguesa.

Está na altura de recuperarmos este tesourinho nutricional que deveria ter uma presença mais amiúde na nossa alimentação. Do ponto de vista nutricional, dez castanhas assadas (84g) fornecem apenas 2g de gordura mas 17% da quantidade de fibra necessária diariamente e estão isentas de glutén, podendo substituir os cereais com glúten, fornecendo energia de qualidade para os doentes celíacos, por exemplo.

Os hidratos de carbono presentes na castanha possuem quantidades apreciáveis de amiloses e amilopectinas, polissacarídeos que permitem o desenvolvimento da flora intestinal e a produção de cadeias de ácidos gordos de cadeia curta. Se a este facto, adicionarmos as substâncias indigeríveis (fibra) que estimulam a presença de bactérias probióticas benéficas no intestino, do género Bifidobacterium e Lactobacillus, encontramos na castanha os processos ideias para se reduzir a inflamação e as enzimas bacterianas fecais que podem estar na génese de alguns cancros do intestino. A presença de fibra pode ainda contribuir para a regulação dos níveis de colesterol e da resposta de insulina.

Ainda precisa de mais motivos? Porque se o que lhe faltam são ideias, aqui fica uma excelente sugestão para comer com umas tostas e /ou legumes como cenoura ou pepino em palitos. 😉

 

Deixe um comentário