A piratinha no laranjal

Há já uns meses que o Algarve era para a Francisca uma miragem. Ainda tinha a memória do verão passado e os dias de praia e piscina com o pai. Então quando surgiu o convite para irmos passar o fim-de-semana ao Algarve pensei: “a miúda vai delirar!”.

“Estou feliz, tão feliz, muito feliz porque vou ao Algarve e lá tem piscinas.” – dizia em voz alta no café onde parámos antes da partida. Fez questão que todos os presentes que não conhecíamos de lado nenhum, tomassem conta da ocorrência…

Mal chegámos ao hotel, fomos direitinhas vestir o fato de banho, para inaugurar com mergulhos a piscina dos piratas do hotel. A hora já avançada – seis da tarde- daquela sexta-feira e o ventinho mais frescote, não a demoveu de aproveitar os escorregas da piscina, afinal logo a seguir tínhamos um banho quente à nossa espera e o jantar reconfortante.

Na manhã seguinte, fomos visitar o laranjal da Cooperativa Agrícola de Citricultores do Algarve, que há dez anos fornece o Lidl

Adoro conhecer o processo de produção dos alimentos, conhecer os produtores locais, aproveitar para colocar algumas questões in loco e neste caso partilhar tudo isto com a Francisca.

Ela adorou. De alicate em punho: “deixa estar mãe, eu sei, eu consigo”, enquanto cortava laranjas e eu a ver o caso mal parado e a miúda a ficar sem um dedo!!!! Almoçámos no meio do laranjal, num espaço lindo e a laranja do Algarve foi a estrela de todos os pratos, o que fez as delícias da miúda que adora fruta e as laranjas não fogem à regra.

Estava tudo delicioso e enquanto eu aproveitei para relaxar, ela brincou no meio do laranjal com os  outros meninos, filhos de outras bloggers, também presentes.

De regresso ao hotel: mais piscina e um jogo de final de taça, que não correu dentro do planeado. Como boa Mother of dragons, os meus filhotes viajam sempre comigo: a Francisca e o dragão do FCP que dorme sempre com ela. Bom, agora por vezes o dragão cede o seu lugar à porquinha, de peluche. Ficámos tristes, eu mais do que ela mas foi sol de pouca dura, até porque para o ano há mais e o domingo prometia.

Fomos para a praia no comboio, daqueles de passeio, que parecem de parque de diversões mas ele parou longe do areal e um longo passadiço me aguardava. Reparem que eu disse “me aguardava” e não “nos aguardava”…
A Francisca é preguiçosa até mais não e não dispensa o colinho. Como no dia anterior tinha magoado o pé na piscina e eu vi a minha vida a andar para trás sem a certeza se já estava bem, lá cedi.

Que rico ginásio.  Pior, só mesmo fazer umas quantas piscinas de passadiço: chegou a hora de almoço e toca a procurar um restaurante; depois há que voltar à praia e por fim ir embora, para apanhar o comboio de regresso.

Antes de voltar a Lisboa, a piscina ainda teve direito a um último adeus de despedida.

Aproveitamos para jantar pouco antes das seis da tarde porque o meu dedinho que adivinha previu o que iria acontecer. Aterrou na cadeira do restaurante e só acordou na manhã de segunda-feira, já na nossa caminha e prestes a voltar à escola e aos nossos afazeres.

 

Há já algum tempo que não viajávamos só as duas e foi maravilhoso.  Acho que estes momentos acabam por reforçar a nossa relação. O que mais ouvi foi “mãe, gosto muito de ti”. Dizem que viajar abre a mente e eu acredito que também abre o coração. 😉

4 Comments

  • Tânia Magalhães diz:

    Olá Sandra! Desde já quero dar os Parabéns pelo Blog e pelo livro. Tenho uma bebé de 6 meses que adora a foto da Xica no livro. Começamos com a diversificação alimentar aos cinco mas não começou mto bem…só há 3 dias está a melhorar a aceitação da sopa é papa e a fruta. A papa aceita melhor. Tinha muita vontade de fazer as patinhas caseiras mas no desespero acabei por dar uma papa comercial. Não começou bem mas gostaria ainda de tentar. Tenho duvidas relativas à quantidade de papa a dar e a quantidade de leite a colocar. Infelizmente o leite materno es te a acabar. Obrigada e mais uma vez Parabéns. Beijinhos para a Fica.

  • Sandra Santos diz:

    Olá Tânia! Às vezes o início pode ser mais complicado e por vezes são necessárias até 11 tentativas até um bebé aceitar determinado alimento. Por isso relaxe e tente aproveitar ao máximo esta nova fase da sua bebé. Beijinhos, Sandra

  • Clau diz:

    Adoro ler as vossas aventuras!!! Como mãe solteira, venho aqui reforçar a minha mente e espírito, tipo “estás a ver Claudia? As mães viajam sozinhas com os filhos!!” Toda a gente me diz que ainda é pequenino (10 meses) o que me dá medo até de ir de comboio á praia sozinhos, mas irei perder o medo, a minha “casa mãe “ é no Algarve a 600kms de onde estou a morar, mas mal faça um aninho vou perder o medo e vamos visitar as amigas da mãe! Obrigada pelo fantástico Blog!!!!!

  • papinhasdaxica diz:

    Boa tarde Clau,

    Fiquei tão feliz com a sua mensagem! Na minha opinião é muito importante manter as amigas por perto e continuar a ter planos e programas de solteira. Como também acho importante sabermos fazer dos nossos filhos nossos companheiros de aventuras e viagens. Sermos felizes é um legado do modo de estar na vida que lhes proporcionamos e deixamos. Ir ao Algarve em Setembro parece-me um excelente programa: não está tão cheio e a água é mais quentinha. Vá sem medo! Beijinhos

Deixe um comentário