A amamentação e o sono do bebé

Nunca tinha ouvido tantas vezes a palavra suplemento como neste último ano! Sim, é verdade que parece que um camião nos passou a ferro e sim, também é verdade que isso se deve à amamentação.

Longos e penosos meses a acordar de hora a hora e quando ela nos dá tréguas dormir 3 ou 4 horas seguidas não é o sonho de nenhuma mamã ou papá, já que o nosso papá cá de casa é solidário nas lides nocturnas!

Mas será a fórmula infantil, vulgo suplemento a alternativa para uma noite bem passada?

Sempre que me questionavam se ela dormia bem e relatava que ela não me dava descanso, a sugestão era invariavelmente falar com a pediatra para introduzir o dito suplemento.

Ora, a Xica nunca deixou margem para dúvidas: é uma miúda que gosta de mostrar que é de bom sustento; a sua querida papada que perdurou durante meses não me deixava mentir e muito menos as suas lindas bochechinhas. Mas os comentários sucediam-se:

“Se calhar o problema é da amamentação. A miúda tem fome e é por isso que não aguenta a noitinha inteira”. Não me parece que fosse esse o motivo para todas as suas investidas noturnas. No entanto, claro que passadas umas quantas horas é normal que tenha fome, é que o volume gástrico de um bebé só aos 12 meses é que tem a capacidade para cerca de 200 a 250 mL.1
Mas basta verificar numa lata de fórmula que as recomendações das marcas apontam para uma quantidade de fórmula por toma de 210 mL, logo aos 4-5 meses!2,3

Ora aí está a resposta para os bebés que tomam o suplemento à noite dormirem que nem uns anjinhos… Vamos lá à feijoada! É que, para além do facto do leite materno ser muito mais fácil de digerir quando comparado com a fórmula, o bebé pode ainda auto-regular a quantidade que consome dependendo do seu apetite e capacidade gástrica.

Já no que diz respeito à fórmula, a quantidade que é oferecida ao bebé é grande parte das vezes desajustada para a idade e sobretudo dimensão do seu estômago. Assim, por mais que me custe, não há nada de errado com um bebé que acorda várias vezes durante a noite. Esta não é uma situação anormal ou preocupante, como a nossa sociedade nos parece incutir, que exija especial atenção e a introdução de outro alimento, especialmente se o bebé apresenta uma boa curva de crescimento.

Até é suposto que assim seja, já que os níveis de prolactina, hormona que ajuda à produção do leite materno, são mais elevados à noite. Logo a sucção do bebé durante a noite aumenta a produção desta hormona que consequentemente levará a uma boa produção de leite a longo prazo.

Raios!! A Natureza não nos dá tréguas, pobres mamãs! Claro está que também há bebés que são amamentados e desde cedo dormem a noite toda e claro está que eu me roo de inveja, seria tonta se não o admitisse…

Se nunca me passou pela cabeça enfiar-lhe um biberão pela goela às 4 da manhã? Claro que sim, e cheguei várias vezes a dizê-lo alto e a bom som, enquanto vociferava e praguejava à moda do Norte palavrões indecifráveis.

Mas depois de alguma ponderação e já menos toldada pelo cansaço não consigo deixar de me questionar: Quando é que deixámos de ser capazes de ver e aceitar com normalidade a nossa Natureza? Quando é que decidimos programar bebés enquanto máquinas? Quando é que ficámos mais amigos dos pais e menos zelosos do que é cada vez mais apontado como sendo um dos direitos fundamentais dos bebés?

Antes da chegada da Francisca, eu dormia 12 horas e um dia perfeito só começava à tarde, hoje a realidade é bem diferente e não questiono, julgo ou aponto o dedo a quem acaba por decidir introduzir o suplemento. O que condeno é o mau aconselhamento: um bebé que apresenta uma boa relação de peso e altura para a idade não precisa de suplemento.

Se quiser introduzir tudo bem e cada um é livre de o fazer mas que as más noites e a hipotética fome do bebé não sirvam de desculpa: “porque a médica disse que eu já não devia ter leite e ele tinha fome” – Isto é errado!

Além disso, trago um mau agoiro: a verdade é que há poucas provas de que a introdução precoce de alimentos sólidos ou fórmula diminuam os despertares noturnos do bebé, a não ser quanto se excede em muito a quantidade de fórmula e mesmo assim não é certo…

A boa notícia é que com o tempo melhora! Mamãs desesperadas: hoje a Francisca dormiu pela primeira vez oito horas!!! Yeahhh!! A má notícia: continuo cansada!

Nota: Escrevi este artigo quando a Francisca tinha pouco mais de 1 ano. Desde os 16-18 meses, que a Francisca passou de acordar várias vezes à noite para dormir como uma pedra, cerca de 12 horas seguidas. Nunca acorda antes das 9h, só para ir para a escola e a muito custo… Haja esperança!

  1. European Paediatric Association
  2. NAN 1
  3. Aptamil 1
  4. Riordan, J. & Wambach, K. (2010)  Breastfeeding and Human Lactation 4th ed. Jones and Bartlett, p. 89.

Gostou deste artigo? Espreite estes…

Gostou deste artigo?

Espreite estes…

desmame Vamos falar de desmame?
Ver Artigo
Que alimentos devo evitar, enquanto estou a amamentar? Que alimentos devo evitar, enquanto estou a amamentar?
Ver Artigo
Amamentação, o bicho-papão Amamentação, o bicho-papão Ver Artigo Posso dar de mamar depois da refeição? Posso dar de mamar depois da refeição?
Ver Artigo
Clique para ver as receitas

65 Comments

  • Mafalda diz:

    Querida Sandra,

    Como gostei de ler !!! Infelizmente o meu Tomás teve de muito cedo (por razões externas a minha pessoa) de recorrer ao dito suplemento apesar de mamar muito bem !! mas como gostaria de voltar atrás e deixar que tudo fosse diferente… não stressar porque ele não aumenta de peso e porque então teremos de dar suplemento e porque deve mamar só de 3 em 3 horas !!!! e não quando ele pedir … 🙁

    • Sandra Santos diz:

      Mafalda, o tempo não volta atrás. Fez o melhor que sabia e podia. Tenho a certeza que o Tomás é um menino lindo, saudável, cheio de energia e que tem a melhor mãe do Mundo: a única que ele conhece e ama incondicionalmente com ou sem suplemento 🙂

  • Filipa Cruz diz:

    Olá Sandra,

    a minha tem 8 meses e continua a mamar durante a noite a cada 2-3 horas. Também espero ansiosamente o dia em que ela consiga dormir 8h, o que nunca aconteceu desde que ela nasceu. É bom saber, ainda assim que existem outros casos. Que idade tem a sua bebe? Quando fez a primeira noite mais longa?

    • Sandra Santos diz:

      Olá Filipa! A Francisca já tem 13 meses!!! No dia em que fez um mês dormiu 6 horas seguidas, pensámos: Yupi!!!! Somos uns sortudos, isto agora é que vai ser! Mas a história só voltou a repetir-se por volta dos 6-7 meses, uma vez ou duas… Acho que a partir dos 10 meses melhorou e dorme cerca de 4 horas seguidas e em dias excepcionais 6 horas (raras vezes!!), já que depois vêm os dentes, a tosse, a ranhoca e estragam tudo! Enfim, um dia de cada vez, cada noite é uma noite e é sempre uma surpresa! 🙂

  • Susana Mogo diz:

    Gostei muito de ler o seu post e dei por mim a pensar que não me acontece só a mim acordar de hora a hora. Não é que fique contente por isso mas é como diz ajuda saber que não estamos sozinhas. O meu Alexandre é só maminha nunca lhe dei suplemento. É muito cansaço mas compensa. Beijinhos

    • Sandra Santos diz:

      Susana, aqui entre nós: pior do que acordar de hora a hora é ouvir as outras mães: “ai, eu tenho uma sorte, o meu dorme a noitinha toda” ou a queixarem-se que só dormiu 9 horas seguidas e não as 12 horas a que estavam habituadas! Eu confesso ter pensamentos demoníacos e já arranjei estratégias para lidar melhor com a situação: acreditar com muita força que o Universo me vai compensar e que a Francisca vai fazer sempre os trabalhos de casa sozinha e sem um ai! E o Alexandre também!!! Ehehehehehe; Ajuda sempre um bocadinho descontrair e partilhar estas noites terríveis 🙂

  • Camyla Dantes diz:

    Ahhhh mais uma vez foi tão importante o seu post para mim… Eu, uma Mamã desesperada!!!! O que me deixou feliz é que constato que a minha Melissa é “normal”!!!! Ufa!!! Não tem suplemento, é a maminha mesmo de hora em hora e os papás megas cansados… E viva a saúde das nossas bonequinhas!!!! bjs

    • Sandra Santos diz:

      Olá Camyla! Eu acho que isto é quase como quando vamos ao médico e nos queixamos de uma dor. Se ele nos diz que é normal até parece que nos sentimos imediatamente mais aliviadas e a dor passa logo. Agora quando ele começa a dizer que se calhar é isto e aquilo e é melhor fazer trinta por uma linha começamos a desesperar!! Pelo menos ajuda saber que não estamos sozinhas, é ou não é?

    • Ana Filipa Marques diz:

      Olá! Não concordo com a parte da “vamos lá à feijoada!”. Sou mãe há 2 meses e meio, e desde as 3 semanas que o meu bebé toma LA. Não por opção minha, mas por alguma razão deixei de produzir leite…
      É verdade que com LA o espaçamento entre refeições é maior, pois a digestão é mais lenta. É verdade que nas latas vem mencionado a idade e a quantidade e é aí que discordo com o “vamos lá à feijoada” que é para dormir melhor. Nada disso!!! Poderia dar-lhe um pouco mais de LA do que é suposto para que dormisse a noite inteira, mas não: bebe o que quer…. às vezes até bebe 60ml quando é suposto beber 150ml (segundo as quantidades da lata). Às vezes dorme 6/7 horas “apenas” com 60ml…!
      Isto apenas para dizer que não é por tomar LA que dorme a noite inteira, se não acorda com fome acorda por outra coisa qualquer: ou quer mimo, ou brincadeira….

    • Sandra Santos diz:

      Olá Ana Filipa! A expressão que originou a sua discórdia é sobretudo uma crítica pessoal, às marcas, que não estabelecem, na minha opinião, uma boa adequação da quantidade de leite que recomendam, à capacidade gástrica do bebé. Como é óbvio, existem bebés que bebem leite materno e dormem a noite toda e o contrário é igualmente verdade: bebés que bebem fórmula e acordam várias vezes (creio mencionar isso no texto). Contudo, este texto é sobretudo um alerta para uma tendência cada vez mais crescente: a introdução do suplemento à noite, para “ajudar” a que o bebé consiga dormir, o maior número de horas, apoiando-se na tese de que se não dorme é porque tem fome e que o leite materno é insuficiente. Como muito bem disse tal não é necessariamente assim: “pode simplesmente querer mimo ou brincadeira ou outra coisa qualquer”. Beijinhos, Sandra

Deixe um comentário