Depois de dar a conhecer à Francisca os legumes, cereais e fruta, tornou-se imperativo não adiar a introdução da carne na sua alimentação e esta papinha de legumes e frango foi uma excelente forma de o fazer.

Nesta fase do ciclo de vida do bebé, a carne é uma importante fonte nutricional, não só de proteínas de elevado valor biológico, como também de minerais, nomeadamente zinco e ferro.

A deficiência em ferro continua a observar-se na mulher grávida bem como no lactente, em países em vias de desenvolvimento mas também na Europa e nos Estados Unidos da América, sobretudo em grupos socioeconómicos mais desfavorecidos.

A noção do esgotamento das reservas de ferro a partir do 4º-6º mês, aliada ao reconhecimento das consequências de uma situação de ferropenia ou anemia ferripriva no desenvolvimento cognitivo, levam a que seja aconselhável a introdução da carne, logo aos 6 meses de idade. Tendo em conta as características quantitativas e qualitativas em ácidos gordos devem ser preferidas as carnes de aves, tais como frango e peru ou de coelho.

Como alguns pais têm dúvidas sobre qual o melhor modo de confeccionar as primeiras papinhas com carne, aqui fica a dica: não há nada mais fácil!! No início, basta juntar algumas gramas de um peito de frango, de preferência biológico, a uma caçarola de legumes ultra colorida, cheia de vitaminas e antioxidantes, garantindo assim uma papinha feliz, para bebés felizes ❤️

Gostou desta receita? Espreite estas…

Gostou desta receita?

Espreite estas…

Papinha de Romã Papinha de Romã Ver Receita Papinha de coelho e beringela Papinha de Coelho e Beringela Ver Receita Queques de Alfarroba e Tangerina Queques de Alfarroba e Tangerina Ver Receita Papinha de kiwi e banana Papinha de Kiwi e Banana Ver Receita Clique para ver as receitas

17 Comments

  • Vanessa Fachada diz:

    Olá Sandra. Adoro as suas sugestões e receitas =) gostaria de saber o porquê de só colocar a parte branca do alho francês.
    Outra questão, que não tem a ver com esta receita. Será que poderia sugerir mais algumas receitas de biscoitinhos? O meu pequeno tem 8 meses e quer sempre comer o que nós estamos a comer quando estanos à mesa, mesmo tendo acabado de comer o dele…

    Obrigada.

    • Sandra Santos diz:

      Olá Vanessa! A parte comestível é a parte branca e verde clara do caule, que é consideravelmente mais tenra. Terei em consideração o seu pedido relativamente às bolachinhas. beijinhos e obrigada pelo seu comentário tão querido

  • Patrícia diz:

    Olá Sandra,

    Provavelmente vou colocar uma pergunta um pouco “estranha” mas neste momento tudo é novo para mim! Gosta bastante das suas sugestões mas uma grande parte das suas receitas é para mais do que uma porção. Como devemos acondicionar as restantes doses? As sopas? As papas?

    • Sandra Santos diz:

      Olá Patrícia!
      Pode acondicionar em recipientes, preferencialmente de vidro, no frigorífico, durante 2 a 3 dias. Ou então congelar em doses individuais, por um período de tempo não superior a um mês.
      Beijinhos, Sandra

  • Cláudia diz:

    Boa tarde, desde já parabéns pelo blog, apesar da minha filha ter 16 meses tem estado a dar destas papinhas, infelizmente não a conhecia antes.
    Contudo tenho uma duvida, ela ainda come muito pouco do 2. prato, gostava da sua opinião em relação à quantidade de sopa que lhe devo oferecer? Porque pelas quantidades que vejo nas suas receitas, não consigo chegar a 4 doses, normalmente ofereço 250ml mais ou menos, o como fica sempre um creme aveludado é impossível com esta quantidade, estou um pouco perdida.

    • Sandra Santos diz:

      Olá Cláudia! As porções que menciono no blog são sempre uma estimativa porque há bebés mais pequeninos que consomem só 60ml de sopa/puré e outros que consomem entre 180-200ml, ou seja, aproximadamente 2 conchas de sopa. Como a sua filhota já tem 16 meses, torna-se importante que, para além da sopa, coma o 2º prato. No entanto quando me diz que come pouco, tal também é muito relativo… Mas se tem essa impressão reduza um pouco na quantidade de sopa, de 250 para 200ml e veja se ela fica mais receptiva à comida da família. beijinhos, Sandra

  • Hasiramr diz:

    Em Portugal já percebi que não há consenso quanto à quantidade de proteína que se deve ingerir por dia. Li muita coisa que referia as tais 30gr por dia, mas a minha pediatra,tal como tantas outras que oiço falar, recomendou 30gr ao almoço e 30gr ao jantar. Será que estou a dar proteína a mais? O que pode acontecer se for em excesso?

    Gostava também de saber se no caso de peru, coelho e borrego também se pode cozer logo juntamente com os legumes. Sempre tive esta dúvida é ainda não tenho esclarecida. Cozer tudo junto não significa gordura a mais? Obrigada!

    • Sandra Santos diz:

      Olá Marisa, De acordo com a Sociedade Portuguesa de Pediatria, “a introdução da carne e peixe deve pois iniciar-se aos 6 meses no caldo/puré de legumes, com porções de 10g e aumentando gradualmente até atingir a dose de cerca de 25-30g de carne ou peixe. Poderá ser oferecida toda numa refeição do dia (almoço) ou metade desta dose nas duas refeições principais.” Mas deixe-me perguntar-lhe em primeiro lugar, que idade tem o seu bebé? Quanto à segunda questão, não existe qualquer problema em cozer a carne com os legumes, desde que lhe retire a pele e gordura visível. Ao cozinhar a carne juntamente com os legumes são aproveitadas sobretudo muitas das vitaminas hidrossolúveis que passam para a água que iria desprezar caso a cozinhasse à parte. Até já!

    • Hasiramr diz:

      Obrigada pela resposta Sandra 🙂
      O meu bebé tem 7 meses e meio e só introduzi a carne, estou a pensar introduzir o peixe agora aos 8 meses. Por vezes ofereço sopa com quinoa que também tem bastante proteína e aí não coloco carne. Parece-lhe bem? Obrigada!

Deixe um comentário