Skip to main content

A primeira papa não se esquece… Por isso a eleita foi a cenourinha!!!

Naturalmente doces e com uma textura suave e cremosa, são ricas em antioxidantes, tais como o betacaroteno, que é percursor da vitamina A e em fibras solúveis que ajudam a regular os níveis de açúcar do bebé e ajudam na função intestinal. Por todas estas razões, são uma excelente escolha nesta fase inicial da diversificação alimentar.

Cá em casa, sempre que possível, para as nossas papinhas caseiras, preferimos as cenouras mais escuras e biológicas, já que as cultivadas em modos de produção convencionais podem apresentar níveis de nitratos e resíduos de pesticidas elevados.
No início, é de esperar que o bebé coma apenas duas ou três colheres de sopa. Tal é normal e esperado. Lembre-se que isto é tudo uma grande novidade para ele. Para além disso, não utilize grandes quantidades de água na cozedura deste e outros legumes.

Deve usar apenas a água suficiente para obter uma papinha de cenoura, que em todo o caso não deve ser aguada e deve ter a consistência de um creme.

Agora que terminei todas as recomendações, só me resta desejar que desfrute desta experiência ao máximo, juntamente com o seu pimpolho.

No meu caso, tenho a certeza que esta papinha de cenoura vai ficar para sempre na minha memória, como o primeiro dia de mais uma etapa, neste nosso maravilhoso percurso de mamã e Xiquinha.

Papinha de cenoura

Uma excelente escolha na fase inicial da diversificação alimentar. Papinha de cenoura com uma textura suave, cremosa e rica em antioxidantes.

2

Ingredientes:

  • 1 cenoura média descascada e cortada em fatias pequenas
  • 1 a 2 colheres de sopa de leite do bebé

Preparação:

  1. Coza a cenoura a vapor. Pode usar uma panela própria ou colocá-la num cesto de cozedura a vapor. Depois é só encher uma panela vulgar com um bocadinho de água, colocar lá dentro o cesto e tapar a panela. Atenção que o nível da água deve ser baixo de modo a não contactar com a cenoura no cesto.
  2. 20 minutos e ficam prontas: óptimas e tenras
  3. Depois é só esmagar com o garfinho e já está!
  4. Misturar um bocadinho de leite do bebé, pode ajudar a melhorar a consistência e a aceitabilidade da papinha, já que é um sabor que ele já conhece.
  5. Outra forma é cozinhá-las num pouco de água, aproveitando a água da cozedura para fazer o puré. Lembre-se que certos minerais e vitaminas, tais como a vitamina C, passam para a água de cozedura e são desperdiçadas caso não a use. Depois é só reduzir a puré. Nota: Não coza com muita água para o puré não ficar muito líquido e com pouca consistência.
  6. No nosso caso, optámos por esmagar a cenoura muito, muito bem com o garfinho que é sem dúvida a forma mais correcta de fazer a papinha de cenoura. Agora aqui entre nós e sem que ninguém nos oiça: não me choca se resolver fazer o puré com a varinha mágica nestes primeiros dias, tudo depende do seu bebé e quem melhor do você para o conhecer melhor do que ninguém?

Notas:

Conserve no frigorífico até 2 dias ou congele até 1 mês. Pode substituir a cenoura por abóbora.

Gostou desta receita? Espreite estas…

Gostou desta receita?

Espreite estas…

50 Comments

  • Diana correia diz:

    Olá Sandra. A minha filha fez agora 6 meses sempre em amamentação exclusiva. Vou iniciar a sopa de cenoura amanhã. A minha dúvida é se dou apenas a sopa ou se dou a sopa e fruta? E neste caso, o que poderia fazer de fruta? Obrigada e continuação de excelente trabalho!

    • Sandra Santos diz:

      Olá Diana,
      Amanhã é o primeiro dia, certo? Dê só a papinha de cenoura!Um passo de cada vez. 🙂 Para nós é relativamente fácil visualizá-los a comerem uma grande pratada de sopa e fruta mas para eles é tudo uma grande novidade e a descoberta de um admirável mundo novo: o de novos alimentos. Às vezes corre logo muito bem, outras vezes precisam de mais tempo e paciência. Não se admire que amanhã só coma uma ou duas colheres de sopa. Tal pode acontecer e é perfeitamente normal. É uma nova fase, não só do ponto de vista comportamental mas também fisiológico e neurológico. Exige alguma calma. Se fosse eu, dedicava a primeira semana aos legumes e só na segunda semana introduziria a fruta. Depois conte-me como correu!

  • Sara Isabel Jardinha Olho Azul diz:

    … 🙂 Olá Sandra, como diz um velho ditado “quem não sabe é como quem não vê”, e para uma mãe de primeira viagem, tudo são dúvidas… sempre ouvi dizer que se deve iniciar pela sopa, até aqui tudo ok, por a razão que a Sandra já falou aqui inúmeras vezes ( a papa é doce, o que faz com que mais tarde recusem mais facilmente a sopinha). A minha questão é sempre que ouvimos falar da 1º sopinha do bebe,… é batata, cenoura, cebola e por fim um fio de azeite cru… mais tarde a mesma base e acrescenta a alface, a abóbora tirando a cenoura da base, o feijão verde e por ai fora… vejo que as receitas da Sandra não tem essa base e mistura legumes com fruta e leite, não sei como fazer, desculpe a confusão mas é mesmo dúvidas de principiante e de quem tem medo de falhar (já correu tanta coisa mal)… peço desculpa, a repetição, mas o primeiro ficou um pouco confuso a escrita automática dá nisto… obrigada 🙂

    • Sandra Santos diz:

      Olá Sara! A base, como lhe chamam, tem por norma um tubérculo e dois legumes diferentes (verde e amarelo/laranja). Não há nada de errado nisso, antes pelo contrário. Contudo, nas primeiras colheradas, eu aposto na simplicidade. Com sabores individualizados, ao quais, se necessário, junto o leite do bebé (preferencialmente materno), para ajudá-lo a fazer a transição entre o leite e a nova etapa. Facilitando a aceitação do(s) novos sabores. Esta fase não dura muito tempo, apenas os primeiros dias ou semanas. Depois da cenoura pode oferecer por exemplo abóbora ou batata-doce. E aos poucos vai juntando outros legumes, tais como: bróculos, couve-flor, feijão verde, cebola. Com uma colher de chá de azeite. Embora a base seja um bom princípio, como gosto de variar os sabores que lhe ofereço, acabo por não ter essa premissa em consideração. Imagine: se der uma sopa mais laranjinha ao almoço e outra mais verde ao jantar, no final do dia, acaba por oferecer ao bebé praticamente o mesmo mas distribuído de forma diferente. Outras vezes faço sopas mais consistentes com 6 ou 7 legumes. É como lhe digo: vario muito, essa é a minha regra de ouro! beijinhos

  • Sara Isabel Jardinha Olho Azul diz:

    Olá Sandra, como diz um velho ditado “quem não sabe é como quem não vê”, e para uma mãe de primeira viagem, tudo são dúvidas… sempre ouvi dizer que se deve iniciar pela sopa, até aqui tudo ok, por a razão que a Sandra já falou aqui inúmeras vezes ( a papa é doce, o que faz com que mais tarde recusem mais facilmente a sopinha). A minha questão é sempre que ouvimos falar da 1º sopinha do bebe,… é batata, cenoura, cebola e por fim um fio de azeite cru… mais tarde a mesma base e acrescenta a alface, a abóbora tirando a cenoura da base, o feijão verde e por ai fora… vejo que as receitas da Sandra não tem essa base e mistura legumes com fruta e leite, não sei como fazer, desculpe a confusão mas é mesmo dúvidas de principiante e de quem tem medo de falhar (já correu tanta coisa mal)… peço desculpa, a repetição, mas o primeiro ficou um pouco confuso a escrita automática dá nisto… obrigada

  • Sara Isabel Jardinha Olho Azul diz:

    Olá Sandra, como diz um velho dita “quem não sabe é como quem não vê”, e para uma mãe de primeira viagem, tudo são dúvidas… sempre ouvi dizer que se deve iniciar pela sopa, até aqui tudo ok, por a razão que a Sandra já falou aqui inúmeras vez ( a papa é você, o que faz com que mais tarde recusem mais facilmente a sopinha). A minha estão é sempre que ouvimos falar da 1º sopinha do bebe, é batata, cenoura e cebola por fim um fio de azeite cru… mais tarde a minha base a alface, a abóbora tirando a cenoura da base, o feijão verde e por ai fora… vejo que as receitas da Sandra não tem essa base e mistura legumes com fruta e leite, não sei como fazer, desculpe a confusão mas é mesmo dúvidas de principiante e de quem tem medo de falhar 🙂 (já correu tanta coisa mal)…

Deixe um comentário